segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Agosto em Lisboa



Andamos como formigas
A acarretar para casa,
Enquanto a cigarra canta
Devido ao calor que a abrasa.


Querem todos ir de férias
E fugir desta cidade.
Vejo os pombos sequiosos.
Apesar da liberdade,


Procuram as poças de água
Da rega do meu jardim,
Para matarem a sede,
Mesmo aqui ao pé de mim.


À medida que avança,
A tarde quente emudece.
Já não se escuta a cigarra
Nem qualquer ave aparece.


‘Stamos na hora da sesta
Que a todos no V’rão convida
A remansear um pouco
Nesta Lisboa florida.


Eu sempre te quero muito
Em todas as estações,
Para mim bem definidas,
Cheias de recordações.


Mais nossa, mais acessível,
Temos agora a cidade.
Lindo o Agosto em Lisboa.
Longe de ti, só saudade!

Maria da Fonseca


1 comentário:

  1. Uma bonita poesia dedicada a uma linda cidade,
    a nossa LISBOA.
    Beijinho amiga

    ResponderEliminar